Cloe Fenix

Literatura

O certo no incerto

O livro “O Certo no incerto”, já se encontra disponível para venda, pode adquirir já o seu. Procure-o no  site da Chiado Books e encomende já o seu…

O certo no incerto – Capítulo 4

Foi chocante reencontrar o Carlos desta forma, mas foi ainda mais perturbante o ver partir, sem se quer lutar pela filha. Eu sei que sou a culpada, que fui eu que pedi para ele sair, mas… custava ele fazer isso por ela? Por mim… não, por mim não, mas por ela. Porque me casei, com […]

O certo no incerto – Capítulo 3

Eu não posso acreditar que ele está realmente aqui, se estou a sonhar ou a ter um pesadelo. Depois de tantos anos sem telefonar, ou mandar uma mensagem, ele apenas voltou. Lindo como sempre, com os seus cabelos castanhos bem cortados e alinhados. Os seus olhos verdes demonstravam o caos da sua mente, enquanto observavam […]

O certo no incerto – Capítulo 2

Já faz quase uma hora, desde que eu estacionei o carro, em frente da minha antiga casa. Casa esta, que partilhei com a minha esposa, até ser transferido para longe. Eu não pude evitar, era a minha grande oportunidade e a primeira vez, que eu ia sair da sua sombra. Eu amava-a, muito mais que […]

O certo no incerto – Capítulo 1

“O som das teclas ecoava pelo ar, como um coração a bater pela primeira vez. Um novo romance começava, passo a passo. Quantos seriam já? Sete, oito… Já não sabia bem… Já não fazia sentido contar, quando vivê-los era mais divertido. Página por página, linha por linha, cada palavra até ao fim. No entanto, criá-los era ainda mais divertido. Imaginar um novo personagem, um sentimento, um olhar, um carinho deixado no ar. Um mundo onde o amor é a força, mais forte do mundo e nada o pode derrotar. Uma ligação, que prevalece para lá do tempo, para lá da vida, para lá do ser… Um sentimento de perda e conquista, onde o bem se liga ao mal, num equilíbrio prefeito. Isso é o que eu desejo, o mundo que quero criar e transparecer para o exterior, essa sou eu.”

O certo no incerto – Trailer

Uma jovem escritora de sucesso, descobre que esta grávida, feliz espera pelo regresso do seu marido para lhe contar a novidade. Viciado no trabalho e decidido a conquistar uma posição de destaque na empresa, ele afasta-se cada vez mais da família, sem mesmo olhar para trás. Até que, quatro anos depois da sua promoção, ele decide voltar. No entanto, o motivo não é se reunir com a família e sim, pedir o divórcio para se poder casar novamente. O que ele não esperava, é que seria recebido por uma novidade, que crescia de dia para dia, forte e saudável. Ainda mais, quando ele era o único que não sabia sobre a sua existência, mas tudo ia mudar.

Estrelinha – Continuação 5

“Há muitos séculos atrás. Anos depois, da primeira estrela ir para o céu. Uma pequena estrela herdou o poder, da primeira estrela. Tal como tu, aquela pequena estrela era rejeitada, pelas outras. No entanto, um dia algo mudou. Ela viu que na terra, um menino especial também havia nascido. Alguém que o mundo, quereria conhecer. Então, a pequena estrela percorreu o céu, anunciando o seu nascimento. Ajudou também, quem quisesse, de coração puro, a encontrar o local. Os humanos chamaram, a pequena estrela guia, de Estrela do Natal.”

Estrelinha – Continuação 4

A Estrelinha ficou a pensar, no que o menino lhe disse. E nesse dia ficou a observar as outras estrelas. Ficou admirada, como naquele céu existia todo o tipo de estrelas. Todas eram tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais. E todas se divertiam ao seu jeito e eram felizes assim. Também tinha de tentar, estava na sua hora de ser feliz.

Estrelinha – Continuação 3

— Qual é a razão, de os outros não falarem contigo? – Perguntou curioso o menino.
— Porque ninguém gosta, do meu vestido de luz. Quando eu nasci, a mãe estrela, disse que eu era especial. Era mais pequena, que as minhas irmãs estrelas, mas era capaz de produzir um brilho puro e quente. Quase tão brilhante como o sol. As outras estrelas acham o meu brilho estranho, demasiado forte. Ao meu lado, o brilho delas quase não se nota.

Estrelinha – Continuação 2

— Qual é a razão, de os outros não falarem contigo? – Perguntou curioso o menino.
— Porque ninguém gosta, do meu vestido de luz. Quando eu nasci, a mãe estrela, disse que eu era especial. Era mais pequena, que as minhas irmãs estrelas, mas era capaz de produzir um brilho puro e quente. Quase tão brilhante como o sol. As outras estrelas acham o meu brilho estranho, demasiado forte. Ao meu lado, o brilho delas quase não se nota.

Voltar ao topo