Ideias Soltas – Texto 32

A ferida que se abriu

Não se cura por si

Foi o ferro que feriu

O que não tem mais fim

Não sei de onde vem a força

Para aguentar tanta dor

A ferida que dói em mim

Não tem cura

Nem vai ter um fim

O muro que eu construí

Serve apenas para proteção

O que não quero mais

É que me doa o coração

Não sei o que eu fui

Nem para onde eu irei

O ferro que um dia me feriu

Se esconde pronto

Mas nunca admitirei

Que fujo a cada sombra

Que cobre o meu caminho

Com medo do que se esconde

Da ferida que habita em mim

A dor que não para

Magoa mais que a saudade

0 que o ferro que cravou

Foi uma covardia

Que se cavou em mim

 

<<  …  10  20  …  30  31 32  33  34  … 40  50   >>

 

Obrigada por visitar o meu site...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this:
Ir para a barra de ferramentas