Advertisements
  • Ideias Soltas – Texto 55

    O cheiro que anda no ar Faz a minha mente viajar Para o jardim florido Que o bicho vem chamar A abelha que zumbe no ar As borboletas que vem visitar A joaninha com as pintas a brilhar Ao sol que sai para brincar Derreter o gelo e renovar Fazer a bolota brotar Ouvir os pássaros a cantar E os ninhos avistar É a natureza a despertar E a vida a recomeçar   << … 30  40  …  53  54  55  56  57  … 60  >>     Advertisements

  • Ideias Soltas – Texto 54

    Eu quero festejar Correr na praia a queimar Mergulhar no seu frescor Sair e ganhar cor Beber a gelar E o cérebro congelar Viver transbordar E sempre me recordar Do que mais eu quero amar Levantar sem demora Se há um gelado de amora Beber por uma palhinha E venha lá a bolinha Para todos animar Correr sem subestimar A esperança que anda no ar Beber ao por do sol Ver o céu azul a pintar Já o vou fotografar Não quero que vás embora Eu quero aqui ficar Aproveitar a tua graça Para poder descansar   << … 30  40  …  52  53  54  55  56  … 60  >>…

  • Ideias Soltas – Texto 53

    De dia em dia em par Vamos todos animar Rir até me fartar Brindar só para festejar Sentir o vento a bailar Jantar fora para variar Sair e viajar Ver a cor do céu a mudar Saltar e mergulhar Nadar até mais nada avistar Subir ao alto e maravilhar Com a vista sem nada a atrapalhar Correr para exercitar Seguir sem para trás olhar Descobrir os mistérios que encontrar Deixar um mistério no ar Só para te intrigar   << … 30  40  … 51  52  53  54  55  … 60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 52

    Gelado da minha vida Trazes-me tantos sabores Arrefeces-me os ânimos E trazes novos amores Salta o paladar A cada gota de sabor Fazes-me lembrar A infância que me mudou A cada colher eu vivo Uma emoção que revive A cada arrepio eu sinto A felicidade que em mim vive Mata-me a solidão Com uma colher e um amigão Leva-me a um novo mundo De sabor e emoção   << … 30  40  … 50  51  52  53  54  … 60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 51

    Não me olhes como objeto Não me vejas como algodão Eu não sou uma coisa Eu não sou de cartão Não me podes moldar Muito menos maltratar Não és o meu dono Eu não sou o teu lar Se me bates, eu grito Com toda a dor do meu coração Não esperes que eu guie Minha vida, em tua devoção Não me cegues e esperes Uma vida de servidão Mesmo morta não serei O teu animal de estimação   << … 30  40  …  49  50  51  52  53  … 60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 50

    Da arte de criar Da magia que dança nos dedos No calor que se funde Na cor que se reúne Aquilo que se forma É muito mais do que arte É a alma que transborda E brilha mais do que Marte Suave como algodão Forte que nem um trovão  A magia que brota da mente Aterra no que sente E vira algo transcendente Para lá da razão   << … 30  40  …  48  49  50  51  52  … 60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 49

    As plumas do pavão Que brilham num milhão Demonstram a magia Que crescer num servo pagão A mística que o cobre Não é mais que um artificio Vence o brilho mais forte Que cresce num andarilho O percurso que o cerca Não é formoso, nem tem mais brilho São as trilhas de um renegado Que sofre sempre amargurado Da sorte que o carrega Na procura pela migalha Da bela dama que o cega   << … 30  40  …  47  48  49 50  51  …  60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 48

    A Rosa rodeada Das mais lindas flores Não perde o encanto Nem perde a sua cor O perfume que liberta É doce e requintado A rainha mais esbelta Que sorri, no reino encantado Um mundo de maravilhas Que encanta e deixa encantado Num feitiço que seduz E deixa todos maravilhado O perigo da inocência Que te deixa todo picado É o veneno que naufraga E te deixa irritado   << … 30  40  …  46  47  48  49  50  … 60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 47

    Amanhã estou de folga Vai ser uma grande borga Se não te der atenção Não te atires ao chão Sorriu e saio de orbita Danço leve no chão O toque que me incomoda Eu não ligo mais não O que é a vida vivida No seu toque de amargura Esta noite bebo doce E subo com doçura A dança sensual Que vive em cada pintura Mexe ao toque do acordeão E explode em pura ternura   << … 30  40  … 45  46  47  48  49  … 50  60  >>    

  • Ideias Soltas – Texto 46

    Ai destino cruel Que tanto me fazes trabalhar Não sejas assim fiel Não me mandes chicotear Descansar mais um dia Seria pouco para mim Ainda que seja, o que eu queria Eu te peço mesmo assim Lutar por um destino Em que levantar, eu não desatino Sorrir para um desafio Em que a cor é um caminho E a luz o meu destino Feliz por si só Trabalhar com alegria Não tomes o que eu tenho Não me deixes em agonia   << … 30  40  …  44  45  46  47  48  … 50  60  >>    

Ir para a barra de ferramentas