Advertisements

O que é ser um escritor?

Eu não pergunto no sentido literário, todos sabemos que um escritor escreve, inventa, cria, mas não é apenas isso. Um escritor é muito mais do que isso, ele é alguém que conquista o leitor, que lhe provoca emoções, que muda a sua vida. Quando pega num livro, não esta a pegar apenas num conjunto de folhas, repleto de letras, que unidas criam palavras. As palavras juntas formam frases, que por sua vez geram parágrafos. E todos juntos criam algo impressionante, que vale a pena ler. Ser escritor é dar vida, as letras, as palavras, as frases, aos paragrafas. De tal forma que é como se entrasse em outro mundo, um mundo que deixa de existir apenas na cabeça do escritor e se espalha pelo mundo. Ser escritor é ser responsável, por levar os mais áridos sentimentos, até ao leitor.

Tal como o realizador é responsável, por levar os artistas a desempenhar expressões faciais e vozes, que transmitem sentimentos, que não podem ser apenas falados. Nos filmes e até mesmo nos desenhos ou fotografia, os sentimentos têm de ser expressados pelo corpo, enquanto que um livro, é como uma introspeção do personagem. Pode pensar que é mais fácil escrever uma banda desenhada, do que escrever um simples livro. Uma vez que o desenho é a forma mais simples de representar, ou melhor de expressar uma emoção. Na realidade, ambos são obras difíceis de se criar, pois um bom desenho e uma obra escrita rica, têm o mesmo poder, mas de formas diferentes. O mesmo acontece com um mau desenho, que não é capaz de expressar muito, alias ele pode não expressar nada, tal como um mau texto não é nada mais do que meras palavras juntas.

No fundo o que realmente importa, é que tipo de escritor gostava de ser.

Que tipo de emoções quer fazer chegar ao leitor?

O que quer dizer?

Para que quer escrever?

Como quer escrever?

São muitas as perguntas, mas será que há respostas?

Eu não posso dar a resposta para nenhuma, porque todas elas são perguntas pessoais. Que apenas cada um de nós, pode responder e mais ninguém, o sabe fazer por nós. E mais do que isso, a resposta tem de estar clara, nas suas obras. O tipo de escritor que é, o tipo de história que cria e o tipo de intensidade da mesma. Tudo isso é você e apenas você.

Escrever, contar uma história, ou mesmo criar um desenho… tudo isto são apenas pequenos fragmentos, da alma de um artista. Quem o conhece irá certamente o identificar em alguns traços seus das suas obras. Tudo porque não há nada melhor, do que escrever sobre o que se conhece e não existe ninguém que conheçamos melhor, do que nós mesmos. Escrever sobre um tema conhecido, a história de alguém, com a imagem de um amigo, familiar ou conhecido, são todas situações muito comuns na imaginação. Que com apenas uma mudança de cenário e algum embelezamento pode levar mais longe. A verdade é que não existe, um único livro, sobre uma história verídica. Sempre existe algo que é criado, reformulado ou aumentado para cativar mais a tensão do publico. Para levar a história mais longe, mais impressionante e cativante. E por esse motivo, que o termo baseado em factos reais existe, porque a história nunca será totalmente real. Alias, qualquer história deixa de ser verídica, a partir do momento que deixa de ser contada na primeira pessoa.

Assim como no velho ditado Português “Quem conta um conto, acrescenta um ponto.”

Agora o que sabe, ou imagina o que seja um escritor. E sente que tem capacidade de fazer jus ao nome, já pensou no que vai escrever? Que sentimento, quer que o leitor tenha?

Eu sei que isso não é algo simples principalmente para um escritor amador, que ainda esta a começar. Escrever é um grande desafio que requer treino, disciplina, trabalho árduo e muito sangue e suor. Ter o dom da palavra e da escrita não é fácil, muito menos de forma natural, mas isso não é motivo para desistir. Desistir nunca é opção, quando é algo que realmente se quer. Há que se lutar pelo sonho, para superar a perspetiva do leitor e o conquistar. No fim, a única pergunta que fica é: “Mas como?”.

Não existe uma receita para isso, um formula, ou mesmo uma forma clara de explicar. Felizmente existem formas de se treinar, pequenas dicas que todos podem usar e abusar. Para mim, existem 2 temas principais neste campo.

  1. Ler de forma crítica.

Como leitora, eu já li vários tipos de livros e encontrei várias formas de escrita. É fácil ser-se cativada, quando a história e boa e isso não passa só pelo tema. E sim, pela forma como a história é apresentada e descrita, talvez este seja o ponto mais importante de qualquer livro. Por isso que tal ler um livro, identificando determinados pontos de melhoria? Se tivesse que reescrever a história, como o faria? Como é que a melhorava?

  1. Descrever

Não existe melhor treino do que descrever algo, vezes e vezes sem conta até ficar perfeito. Pegue em papel e caneta, sente-se em algum lugar e aprecie a vista. O que vê, o que sente, o que lhe é transmitido… Tudo o que fizer, tudo o que escrever, tudo o que treinar, vais o levar a outro nível. A conquistar uma escrita fluída, rica e atrativa, esta associada a uma boa história, a um bom tema, pode se torna um sucesso de vendas. O seu sucesso.

 

Continua…

< Página Anterior … Próxima página >

 

Advertisements

Obrigada por visitar o meu site...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this:
Ir para a barra de ferramentas