Advertisements

Soja comida saudável, sim ou não?

Cada vez mais se torna uma necessidade comer de forma saudável, mas nem sempre sabemos o que devemos fazer. O que nos faz bem? O que realmente é saudável? Se nossa comida é livre de químicos e pesticidas? Comprar alimentos biológicos é a única alternativa, para comer alimentos saudáveis? Qual é a alternativa viável, para se ser saudável e nos livramos das doenças que estão cada vez, mais na moda. Infelizmente.

Alimentos Saudáveis

Vivemos numa indústria consumista, onde se vende a ideia da comida saudável. O que não quer dizer, que tudo o que comemos ou compramos não o seja. Apenas, nos não sabemos o que realmente é saudável e como procurar, alimentos e receitas que realmente fazem bem e sabem bem. Da mesma forma, que existem muitos alimentos que são modificados geneticamente, por diversos motivos. Incluindo serem mais resistentes a pragas, evitando a necessidade de pesticidas. Comer bem e de forma saudável, não está só no facto de onde vem os alimentos, como também na escolha dos alimentos em si.

A soja por exemplo, é um dos elementos apresentados como sendo saudável e que pertence, a uma indústria milionária. Um alimento muito utilizado por vegetarianos e intolerantes a lactose. A soja é uma leguminosa nativa da Ásia Oriental e é considerada, um componente importante na dieta asiática. É comida sobretudo na forma processada e refinada como no leite de soja, tofu, shoyu, proteína de soja, óleo…

Soja saudável ou prejudicial

Cerca de 80 a 90% da soja existente no mundo, é transgénica ou seja, alterada geneticamente.

É rica em proteínas, sais minerais, como potássio, cálcio, magnésio, fósforo, cobre e zinco. É também uma fonte de vitaminas do complexo B, como a riboflavina e a niacina, e também em vitamina C (ácido ascórbico). Contudo é pobre em vitamina A e não possui vitaminas D e B12.

A soja é um alimento rico em proteínas e por isso, um forte candidato a substituto da carne. Uma vez que contém quantidades significativas, da maioria dos aminoácidos essenciais ao corpo humano e que o nosso organismo, não é capaz de reproduzir e por isso tem de ser ingerido.

Na soja está presente o ácido fítico, ou fitato, que é uma substância encontrada exclusivamente, em alimentos de origem vegetal. A ingestão desta substância pode inibir a absorção de minerais como como cálcio, magnésio, manganês, cobre, zinco e o ferro. Necessários para o bom funcionamento do organismo, principalmente o ferro. Sendo este o principal componente dos glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte do oxigénio pelo sangue. Para reduzir o nível de ácido fítico do alimento, é necessário deixar a soja de molho, por pelo menos durante quatro horas ou fermentá-la. Os fitatos também agem como potentes agentes antioxidantes (prevenindo o envelhecimento e oxidação das células). Cumprindo dessa forma uma função importante, na redução dos riscos de inúmeras doenças crônicas e degenerativas, como alguns tipos de câncer e artrites.

Na soja também podemos encontrar isoflavona, também chamada de fitoestrógeno, que atua na prevenção de doenças crônico-degenerativas. Tais como o câncer de mama, de cólon de útero e de próstata. Sua estrutura química é semelhante ao estrógeno (hormônio feminino) e, por isso, é uma substância capaz de aliviar os efeitos da menopausa e da tensão pré-menstrual.

Consumir soja de forma regular, ou suplementos de isoflavona pode levar ao hipotiroidismo, uma deficiência nas funções da tiroide. A tiroide tem como principais regular o crescimento e a produção de energia do corpo.

A soja pode causar problemas neurológicos nos bebês e TDAH (Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade). Um estudo realizado a bebês do sexo feminino e alimentadas com a fórmula de soja, verificaram um crescimento significativo do tecido mamário aos 2 anos de idade. Comparado a crianças da mesma idade, alimentadas com o leite materno ou com uma fórmula à base de leite. Também existem provas que o consumo de formulas de soja, durante a infância, pode levar a um aumento nas dores menstruais na idade adulta.

Já no sexo masculino, os fitoestrógeno, pode entrar em conflito com a testosterona (hormona masculina). Existem testemunhos de homens, que tiveram sua libido saúde sexual e mental, afetados devido ao alto consumo de alimentos à base de soja. Em alguns estudos, comprovaram mesmo, existir uma redução na produção da testosterona.

As propriedades estrógenas, também atuam em outro problema causado pela deficiência hormonal, a osteoporose. As fibras dietéticas solúveis e insolúveis presentes, contribuem para a manutenção do nível glicêmico e para a melhora da sensibilidade à insulina. Por isso, ao apresentar um baixo índice glicêmico é importante na prevenção e no tratamento de diabetes e obesidade.

A soja, tal como outros grãos possui fibras insolúveis, sendo algumas delas a rafinose e estaquiose. Estas podem causar flatulência e diarreia em pessoas sensíveis, tal como piorar a Síndrome do Intestino Irritável.

Comer ou não soja?

A soja tem muito benefícios e malefícios associados, o que causa muita discussão. O certo é que cada um deve pensar bem e analisar se os benefícios valem ao não, o risco. O seu consumo deve ser bem pensado, a confeção deve ser cuidada e os a soja processada deve ser bem analisada. A escolha certa, pode ser benéfica para o organismo, da mesma forma que a errada pode agravar ou criar novos problemas.

 

Início
Curiosidades
Advertisements

Obrigada por visitar o meu site...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this:
Ir para a barra de ferramentas